Terça-Feira, 02 de Dezembro de 2014

Página Inicial>Brasil

Sem trens da Supervia e com acidente grave na Linha Amarela: caos toma conta da mobilidade no Rio

Hoje pela manhã e nos últimos quatro dias, a cidade mais vistosa do Brasil mergulhou num inferno astral perfeito em seu sistema de transportes.

Publicada: 28/01/2014 - 15h22m|Fonte: Brasil 247|Versão para impressão|

  • Sem trens da Supervia e com acidente grave na Linha Amarela: caos toma conta da mobilidade no Rio

  • Foto: Imagens dos Top Twitter
Publicado por Brasil 247

Depois de pelo menos 600 mil ficarem sem trens da Supervia, nesta terça-feira 28 acidente com quatro mortos provoca engarrafamento monstro na Linha Amarela; enquanto isso, prefeito Eduardo Paes é criticado por Clube de Engenharia pela demolição considerada precipitada do elevado Perimetral; em pleno verão de 40 graus em que recebe turistas de todo mundo e se prepara para a Copa do Mundo, Rio de Janeiro vive cenas de caos em seu sistema de mobilidade urbana; vai melhorar?

247 – Hoje pela manhã e nos últimos quatro dias, a cidade mais vistosa do Brasil mergulhou num inferno astral perfeito em seu sistema de transportes. Depois que, na quarta-feira 22, cerca de um mihão de pessoas ficaram sem trens nos subúrbios da zona Norte, a manhã da terça 28 começou com engarrafamento de milhares de veículos na principal via de ligação da zona Oeste, a Linha Amarela. Quatro pessoas morreram no choque de um caminhão contra uma passarela de pedestres, que desabou.

Enquanto isso, a região Central está conturbada desde a virada do ano pela demolição do elevado Perimetral, decisão pessoal do prefeito Eduardo Paes considerada precipitada pelo Clube de Engenharia. Nesse contexto, o metrô da cidade rivaliza com o de São Paulo em lotação no horário de pico.

O prefeito Eduardo Paes está no centro das críticas pelo caos no sistema de transportes. O Clube de Engenharia da cidade manifestou que os problemas no trânsito na região central aumentaram depois que começou o processo de demolição do elevado Perimetral sem que, antes, vias alternativas estivessem abertas. O prefeito rebateu com uma carta à entidade, alegando que não havia condições para a abertura e túneis e pistas com o elevado em operação. Para o público, Paes procurou sem simpático:

- Ninguém vai sentir saudades da Perimetral.

Quando os trens administrados pela Supervia, do grupo Odebrecht, tiveram sua circulação interrompida pelo descarrilamento ocorrido na quarta-feira 22, não houve espaço para frases fáceis. Pelo menos 600 mil pessoas ficaram sem seu principal meio de transporte durante 12 horas seguidas. Agora, o Procon e o Ministério Público estudam ampliar multas exemplares contra a empresa.

A Supervia administa locomotivas e vagões que circulam desde a década de 1950. As promessas de modernização ainda não se transformaram em melhoria efetiva nos serviços.

Com seu inferno astral nos transportes, o principal ponto turístico do Brasil ao longo do ano e, especialmente, no verão, está sofrendo dos males da falta de planejamento e deficiência de infraestrutura. Tudo agravado por temperaturas que chegam, nos bairros, a 50 graus, tornando ainda mais duras as situações de emergência que, a julgar pelos fatos dos últimos dias, vão se tornando rotineiras.

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook