Segunda-Feira, 27 de Outubro de 2014

Página Inicial>Mundo

"OTAN planeja uma guerra para apoderar-se dos recursos naturais da Rússia"

O colunista lembra que, apesar do acidente com o voo AH5017 da Air Algerie ter ocorrido depois do MH17, a análise das causas do acidente já foram tornadas públicas.

Publicada: 04/08/2014 - 14h49m|Versão para impressão|

  • OTAN planeja apoderar-se dos recursos naturais da Russia, declara o jornalista Pepe Escobar
  • OTAN planeja apoderar-se dos recursos naturais da Russia, declara o jornalista Pepe Escobar
    Foto: © RIA Novosti RT
A OTAN demonstra que tem como objetivo prioritários apoderar-se das riquezas naturais da Russia, ao impedir uma resolução passífica á crise na Ucrânia e colocando a prova a paciencia de Moscou, opina o jornalista Pepe Escobar.

O secretário Geral da OTAN, Anderson Fogh Rasmussen, exerce pressão sobre a causa da tragedia do avião da Malásia, denuncia a missão permanente da Russia na OTAN, em sua conta no Twitter. " O secretário geral da OTAN decide não esperar até o final da investigação sobre o MH17 e exerce pressão sobre o seu curso".

O jornalista Pepe Escobar da a sua opinião em um artigo publicado no portal OpEdNews onde diz que para plutocratas ocidentais que tentam dominar o mundo a Rússia representa "um grande banquete", porque é um tesouro de recursos naturais das florestas e de água doce para o petróleo e gás. Para aproveitar esses recursos, EUA usa sua "polícia global": a Aliança do Atlântico Norte. "A OTAN está planejando uma guerra para se apoderar dos recursos da Rússia", conclui o autor.

A primeira etapa do plano da OTAN será implantar seus lançadores de mísseis sobre o território da Ucrânia. Esta possibilidade já está sendo discutido pelos membros da Aliança, como parte dos preparativos para a conferencia que será realizar em Setembro, no Reino Unido, destaca Escobar.

Enquanto isso, Washington vai tentar criar tensão entre os partidários da federalização no leste da Ucrânia com a Rússia e, simultaneamente, proporcionar à Kiev armas militares e meio milhão de mercenários.

Para levar a cabo o seu plano os EUA estão tirando proveito da situação criada em torno da derrubada do Boeing 777 da Malaysia Airlines no leste da Ucrânia. Os especialistas ocidentais e inspetores da OSCE e pilotos evidenciam que o avião não pode ser derrubada pelo sistema de mísseis Buk, como informou a imprensa americana imediatamente após o desastre, escreve Escobar. No entanto, a Malasia entregou a caixas pretas com os registros da aeronave derrubada ao Reino Unido, o que significa que estão disponíveis à OTAN e, em ultima instância à CIA. Segundo o jornalista, parece que a perda do MH17 foi um erro cometido pelo lado ucrâniano durante a realização de uma operação orquestrada pelos Estados Unidos.

O colunista lembra que, apesar do acidente com o voo AH5017 da Air Algerie ter ocorrido depois do MH17, a análise das causas do acidente já foram tornadas públicas. O fato de que a análise da caixa preta do voo da Malásia estar levando tanto tempo significa que eles estão manipulando os dados, diz Escobar.
  

Enquanto isso, o Ocidente insiste em "punir" a Rússia com sanções apesar da falta de evidências sólidas. Neste caso, a Europa obedece aos EUA, lamenta o jornalista.

As tentativas dos governos ocidentais de caluniar à Russia, se replicam em mídias ao redor do mundo, e se resume basicamente em um conjunto de clichês numa busca infrutífera para uma tese básica" diz o jornalista.

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook