Sábado, 29 de Março de 2014

Página Inicial>Mundo

Criméia declarar a independência, e busca o reconhecimento da ONU

O Parlamento da Criméia continuará a ser o órgão legislativo supremo da república até setembro de 2015, ou até que seja tomada a decisão de integrar à Russia

Publicada: 17/03/2014 - 13h40m|Fonte: RT|Versão para impressão|

  • Crimeians Pro-russos celebram em Sevastopol
  • Crimeians Pro-russos celebram em Sevastopol
    Foto: AFP Photo / Viktor Drachev
A República da Criméia está buscando o reconhecimento da ONU como um Estado soberano e pediu à Rússia para integrá-lo na Federação Russa. Ontem (17) 96,77 por cento da população da Criméia votou para" a integração em um referendo.

"A República da Crimeia pretende construir suas relações com outros Estados na base da igualdade, paz, cooperação mútua com sua vizinhança, e outros princípios geralmente aceites de cooperação política, econômica e cultural entre os estados", informou o Parlamento.

Segundo o presidente do parlamento da Criméia Vladmir Konstantinov, as unidades militares do governo ucraniano na Criméias, devem ser dissolvidas, com os militáres autorizados a ficar e viver na península.

"Aqueles que, de acordo com suas crenças, não aceitam a independência da Criméia e quiserem permanecer fiel ao Estado ucraniano não serão perseguidos", disse o chefe do parlamento da Criméia Vladimir Konstantinov, citado pela ITAR-TASS.

Konstantino acrescentou que o mesmo princípio se aplica a funcionários públicos e trabalhadores de segurança que fizeram o juramento de fidelidade à Ucrânia.

Seus comentários vieram depois de mais de 500 soldados deixaram Sevastopol a registrar em postos de controle temporários.

O Parlamento da Criméia decidiu também que a propriedade do Estado ucraniano na península passarão a ser propriedade da República da Crimeia, informou a agência de notícias Kryminform.

O Parlamento da Criméia continuará a ser o órgão legislativo supremo da república até setembro de 2015, ou até que seja confirmada a decisão de integrar Criméia para a Federação Russa.


Enquanto isso, o presidente do governo golpista da Ucrânia Aleksandr Turchinov chamou o referendo de "uma grande farsa", dizendo que ele nunca vai ser reconhecida seja pela Ucrânia ou pelo mundo civilizado ", informou a AFP.

Segundo o anúncio oficial: 96,77 por cento da população da Criméia votou para integração da região para a Federação Russa. O comparecimento às urnas foi de 83,1 por cento. Num total de 1.233.002 votos "para" a integração.

Comentários dos leitores

Confira abaixo os comentários realizados pelos nossos leitores.

 
Siha nos no Twitter

Recomendações Facebook