Press "Enter" to skip to content

“Nada está fora da pauta”: o Departamento de Justiça dos Estados Unidos inicia ação legal contra o Google por monopólio

Segundo as autoridades, a empresa está usando sua posição dominante para expulsar seus concorrentes.

Sede Google em Irvine, California, EE.UU. Mike Blake / Reuters
Sede Google em Irvine, California, EE.UU. Mike Blake / Reuters

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos anunciou na terça-feira que não descarta qualquer opção judicial depois de entrar com uma ação neste mesmo dia contra o Google acusando a empresa de violar a lei antitruste dos Estados Unidos.

“Nada está fora da mesa, mas a questão dos recursos será melhor tratada pelo tribunal depois que ele tiver a chance de ouvir todas as provas”, disse um representante do Departamento de Justiça a uma conferência após ser questionado sobre as ações legais contra o Google, citado pela Reuters.

As autoridades acusam o gigante da tecnologia, de propriedade da Alphabet Inc., de utilizar sua posição dominante para impedir a entrada de outros concorrentes no mercado.

O Google, por sua vez, reagiu chamando a ação judicial de “profundamente defeituosa”. Eles insistiram que os usuários utilizam seu mecanismo de busca “porque eles escolhem, não porque são forçados ou não conseguem encontrar alternativas”.

Domínio ilegal.

O senador republicano Josh Hawley, um crítico ferrenho do gigante da informática, acusou o Google de manter o poder através de “meios ilegais” e chamou o processo “o mais importante caso antitruste em uma geração”.

O processo foi apoiado por 11 estados americanos com procuradores-gerais republicanos e pode ser visto como um gesto político poucos dias antes das eleições presidenciais americanas, já que coincide com a promessa de Donald Trump de levar à justiça certas empresas que, segundo ele, reprimem pontos de vista conservadores.

Entretanto, o processo é apoiado até mesmo por congressistas democratas, como no caso de Elizabeth Warren. Anteriormente, esta senadora exigia uma “ação rápida e agressiva” contra o Google, a Amazon, a Apple e o Facebook, que estão sob investigação da Comissão Federal de Comércio do Departamento de Justiça há mais de um ano por suposto monopólio.

Tradução e adaptação de conteúdo por Guia Global.
Conteúdo originalmente publicado em RT