Press "Enter" to skip to content

Svetlana, ex-candidata presidencial exilada encontra-se com representante de Mike Pompeo para discutir o “fortalecimento da democracia” na Bielorússia

Se o caminho para derrubar o líder da Bielorrússia Alexander Lukashenko passa por Moscou, como acreditam os mais sérios analistas, então a Svetlana Tikhanovskaya, vice-campeã nas disputadas eleições deste mês, desviou-se consideravelmente.

Svetlana Tikhanovskaya © Global Look Press / Darius Mataitis via www.imago-im
Svetlana Tikhanovskaya © Global Look Press / Darius Mataitis via www.imago-im

Na segunda-feira, na capital lituana Vilnius, ela se encontrou com o Secretário de Estado Adjunto dos EUA, Stephen Biegun, em um movimento que terá suscitado preocupação no Kremlin. A Rússia tem pedido aos Estados ocidentais que se mantenham fora da situação na Bielorússia, que é o principal aliado militar e político de Moscou.

Em uma declaração, o Departamento de Estado disse que Biegun havia discutido “o fortalecimento da democracia e dos direitos humanos no país” com Svetlana Tikhanovskaya em Vilnius. O boletim a descreveu como “líder da oposição” e continuou “afirmando o compromisso dos EUA com a soberania e a integridade territorial da Bielorrússia e com o direito soberano de seu povo de eleger seus próprios líderes e determinar seu próprio futuro”.

Biegun também se reuniu com o Ministro das Relações Exteriores da Lituânia Linas Linkevicius, o Ministro da Defesa Raimundas Karoblis e outras autoridades para “discutir a situação na Bielorrússia, combatendo as ameaças colocadas pela Rússia e pela China, e a promoção dos direitos humanos e da democracia”.

Biegun também deverá visitar a Rússia e a Ucrânia esta semana.

Bielorrússia, tem sido atingida por protestos em massa e violência esporádica, desde as disputadas eleições presidenciais de 9 de agosto. Os manifestantes têm contestado o resultado da votação. Durante o primeiro dia de protestos, eles entraram em confronto com a polícia e mais de 6.000 pessoas foram detidas, com dezenas de policiais e manifestantes feridos. De acordo com o resultado oficial da Comissão Eleitoral Central, o atual mandatário Lukashenko venceu com 80% dos votos e Svetlana foi o segundo com 10%. Ela não reconheceu o resultado e fugiu para a Lituânia.

Tradução e adaptação de conteúdo por Guia Global.
Conteúdo originalmente publicado em RT