Press "Enter" to skip to content

O processo de desenvolvimento da primeira vacina contra o coronavírus do mundo, desenvolvida na Rússia

Esta vacina contra o coronavírus foi registrada na Rússia no dia 11 de agosto.

Ministério da Defesa da Rússia / Sputnik
Ministério da Defesa da Rússia / Sputnik

A 11 de Agosto, a Rússia registou a primeira vacina do mundo contra o coronavírus, denominada “Sputnik V”, em homenagem ao primeiro satélite soviético.

“Esta manhã foi registrada a primeira vacina da covid-19 no mundo”, anunciou o presidente do país, Vladimir Putin. O presidente especificou que a vacinação da população deve ser realizada exclusivamente de forma voluntária, acrescentando que espera que a produção em massa do medicamento comece em breve.

“No mercado mundial de medicamentos e vacinas, muitos medicamentos podem ser usados. Esta vacina é baseada em vectores adenovirais. Sua vantagem é que se baseia em vetores adenovirais humanos e, portanto, trabalha precisamente para formar anticorpos fortes e imunidade celular”, disse Putin, observando que uma de suas filhas já recebeu a injeção.

Como foi criado?

Nas imagens filmadas do laboratório, você pode ver o processo de seu desenvolvimento. A vacina foi criada artificialmente, sem qualquer elemento do coronavírus na sua composição. Vem na forma liofilizada, como um pó que é misturado com um excipiente para o dissolver e depois administrado por via intravenosa.

Um total de 76 voluntários participaram nos ensaios clínicos do medicamento, que visavam avaliar a sua segurança e os seus efeitos no organismo. Os médicos consideraram a pesquisa bem sucedida e concluíram que a vacina é segura: no final do processo “todos os voluntários tinham imunidade“. Yelena Smoliarchuk, diretora do Centro de Pesquisa Clínica de Medicamentos da Universidade Séchenov, disse que a proteção máxima é alcançada três semanas após a injeção, quando a resposta do sistema imunológico é acionada.

“Eficaz e seguro”.

Por sua vez, o Ministro da Saúde russo Mikhail Murashko disse que a preparação mostrou a sua eficácia e segurança. Ele disse que a vacina será produzida em duas plataformas: pelo Centro Nacional de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya e pela empresa Binnofarm.

Da agência eles declararam que os suas provas clínicas vão continuar, nos quais milhares de pessoas vão participar. “Os desenvolvedores da vacina prepararam os documentos para futuras pesquisas clínicas com a participação de vários milhares de pessoas. Para o rápido monitoramento do estado de saúde dos vacinados e o controle da eficácia e segurança, o Ministério da Saúde russo está criando um perfil digital único que permite monitorar a segurança e qualidade do medicamento em todos os estágios do ciclo de vida”, disse Murashko.

Quanto tempo vai durar a sua eficácia?

O Ministério da Saúde russo indicou que a administração em duas fases torna possível a criação de imunidade a longo prazo, que pode durar até dois anos. “O esquema de injeção dupla permite a formação de imunidade a longo prazo. A experiência com vacinas vetoriais (com esquema de injeção dupla) mostra que a imunidade permanece por até dois anos”, informa relatório divulgado terça-feira pela instituição.

Tradução e adaptação de conteúdo originalmente publicado em RT