Press "Enter" to skip to content

PM covarde que agrediu vizinhas e desfigurou o rosto de uma delas é cidadão de bem

Márcio Hugen, homenageado na Câmara. Foto: Aline Coldebella Sommavilla/Câmara de Lages

O PM que invadiu o apartamento de mulheres em Lages, Santa Catarina, é um dos coordenadores de um programa de prevenção do uso de drogas nas escolas, o Proerd.

Ou seja, “cidadão de bem”.

Trata-se de Márcio Hugen, que chegou a receber homenagem na Câmara Municipal da cidade, juntamente com mais 12 policiais.

Um porta-voz da PM disse em um programa de televisão que espera que o policial e as vítimas cheguem a um acordo. Absurdo.

Uma das vítimas que apanhou de Márcio Hugen está com o rosto desfigurado.

O policial invadiu a casa das jovens na noite de segunda-feira porque estava incomodado com a festa que as mulheres faziam em homenagem à amiga que havia sido aprovada na apresentação do TCC.

Mas as mulheres asseguram que, às 22 horas, som foi desligado.

Mesmo assim, ele teria ido para a casa delas armado de cassetete. As imagens são a prova do crime de lesão corporal.

A PM diz que, como ele estava de folga, responderá como cidadão comum.

Servir e proteger é só um slogan sem sentido em corporações que passam o pano para seus integrantes que, dentro ou fora do serviço, cometem crime.

O cassetete que ele usou para espancar as jovens pertence a ele ou à PM? Se a ele, precisa ser apreendido, por se tratar de arma branca.

Se pertence à PM, ele precisa responder pelo uso de um equipamento do Estado para atacar cidadãs catarinenses, por divergência de vizinho.

O rosto desfigurado de uma das jovens agredidos pelo PM e esposa

Veja o vídeo da agressão. O PM ainda é ajudado pela esposa, que roubou o celular de uma das vítimas (sim, é roubo quando se retira um bem de outra pessoa mediante violência):

Publicado originalmente em DCM