Press "Enter" to skip to content

O Brasil reabre suas fronteiras para aqueles que chegam de avião para aliviar sua indústria turística, justamente quando se registra um número recorde de infecções por coronavírus

A restrição à entrada por via aérea permanece em cinco estados: Mato Grosso do Sul, Paraíba, Rondônia, Rio Grande do Sul e Tocantins.

Aeroporto Internacional de Brasília, Brasil, 28 de maio de 2020 - Ueslei Marcelino / Reuters
Aeroporto Internacional de Brasília, Brasil, 28 de maio de 2020 – Ueslei Marcelino / Reuters

O governo federal brasileiro decidiu em 29 de julho reabrir suas fronteiras nacionais aos visitantes estrangeiros que chegassem de avião durante os próximos 30 dias.

O texto do decreto, publicado no Diário Oficial da União, afirma que as restrições de entrada permanecem em cinco estados: Mato Grosso do Sul, Paraíba, Rondônia, Rio Grande do Sul e Tocantins. Vale mencionar que as restrições de acesso ao Brasil por terra ou mar permanecem em vigor.

Para entrar no território brasileiro, além de cumprir “os requisitos de imigração adequados à sua condição, incluindo a de ter um visto de entrada”, os turistas estrangeiros devem apresentar à companhia aérea – já antes do embarque – um seguro médico válido no Brasil para toda a estada planejada. Caso contrário, a entrada no país pode ser proibida.

O decreto anterior, emitido em junho, permitia a entrada por via aérea somente através dos aeroportos de Galeão (Rio de Janeiro), Brasília (Distrito Federal), Guarulhos e Viracopos (São Paulo). Através desses terminais, os passageiros estrangeiros já poderiam entrar no Brasil por um curto prazo ou para fins de estudo, trabalho, investimento, reunião familiar ou atividades artísticas ou esportivas.

Um novo recorde diário de infecções

O governo tomou a decisão de abrir as fronteiras aéreas para visitantes de outros países exatamente no dia em que o Brasil registrou um número recorde de infecções, detectando 72.377 casos positivos nas últimas 24 horas.

De acordo com o balanço emitido pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), foram confirmadas outras 1.664 mortes por esta doença. Com estes dados, o número total de positivos subiu para 2.553.265, enquanto o número acumulado de mortes é agora de 90.134. Atualmente, o país ocupa o segundo lugar, atrás dos Estados Unidos, em termos de infecções e mortes por covid-19.

A abertura das fronteiras aéreas foi feita com o objetivo de aliviar a “devastada indústria turística” do Brasil, de acordo com a AFP. Segundo estimativas da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o setor turístico brasileiro já perdeu cerca de R$122 bilhões de reais (mais de US$23,6 bilhões de dólares) devido à pandemia.

Tradução e adaptação de conteúdo originalmente publicado em RT