Press "Enter" to skip to content

China exige que os EUA parem com suas “tentativas de perturbar e sabotar a paz e a estabilidade” no Mar do Sul da China

São ” completamente injustificadas” as declarações de Washington de que as pretensões de Pequim nessa área são “ilegais”, informa comunicado da Embaixada da China nos Estados Unidos.

Navios japoneses fazem exercício com o porta-aviões americano USS Ronald Reagan no Mar do Sul da China, 7 de julho de 2020.
U.S. Navy/Handout / Reuters

A Embaixada da China nos EUA exigiu nesta terça-feira que Washington pare suas “tentativas de perturbar e sabotar a paz e a estabilidade na região” depois que o Secretário de Estado dos EUA Mike Pompeo chamou as reivindicações de Pequim a recursos no Mar do Sul da China de “totalmente ilegais”.

De sua Embaixada destacaram que a declaração de Pompeo “ignora os esforços da China e dos países da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) pela paz e estabilidade no Mar do Sul da China, distorce deliberadamente os fatos e o direito internacional […], exagera a situação na região e tenta semear a discórdia entre a China e outros países costeiros”.

A acusação é completamente injustificada. O lado chinês opõe-se firmemente a ele”, disse o órgão, pressionando os EUA a “honrar sinceramente seu compromisso de não tomar partido na questão da soberania territorial, respeitar os esforços dos países regionais por um Mar do Sul da China pacífico e estável, e parar suas tentativas de perturbar e sabotar a paz e a estabilidade na região”.

“A posição da China sobre a questão do Mar do Sul da China tem sido consistente e clara. Embora salvaguardando firmemente sua soberania territorial e seus direitos e interesses marítimos, a China se comprometeu a resolver disputas através de negociações e consultas com os países diretamente envolvidos”, acrescentou a Embaixada.

Tradução e adaptação de conteúdo originalmente publicado em RT