Press "Enter" to skip to content

Amorim: nomear aliado de Bannon no Itamaraty é um estupro

Celso Amorim classificou como “um estupro” a possível nomeação do executivo do mercado financeiro Gerald Brant , aliado de Steve Bannon, no cargo de assessor especial no ministério das Relações Exteriores. Segundo Amorim, ação do governo é “tiro final” na diplomacia brasileira

Celso Amorim; Jair Bolsonaro, cumprimenta o empresário Gerald Brant em encontro nos EUA em março de 2019. Entre eles, Steve Bannon. (Foto: 247 | Alan Santos/PR)

O ex-chanceler Celso Amorim concedeu entrevista nesta terça-feira (9) à TV 247 e condenou duramente os rumos de total subserviência da política externa brasileira aos EUA. Segundo ele, a possível nomeação do executivo do mercado financeiro Gerald Brant  no cargo de assessor especial no ministério das Relações Exteriores representa “um estupro” na diplomacia brasileira. 

“É uma coisa inexplicável, uma violência sem tamanho. É um tiro final no Itamaraty caso seja nomeado”, lamentou Amorim.

Leia na íntegra em Brasil 247