Press "Enter" to skip to content

Porta-voz do Ministérios das Relações Exteriores da Rússia: “Europa e Estados Unidos recebem o caos que semearam”

María Zajárova comentou em um programa de televisão sobre os protestos desencadeados pela morte de George Floyd por um policial nos Estados Unidos.

Uma patrulha policial em chamas durante protesto em Atlanta, Geórgia, EUA, 29 de maio de 2020. Ben Gray/Atlanta Journal-Constitution / AP
Uma patrulha policial em chamas durante protesto em Atlanta, Geórgia, EUA, 29 de maio de 2020. Ben Gray/Atlanta Journal-Constitution / AP

“O que está acontecendo agora na Europa e nos Estados Unidos é a resposta à sua pergunta: eles recebem exatamente o que semearam. Ao semear o caos, eles receberam o caos”, disse este domingo a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zajárova, em entrevista ao canal Rossiya 1.

Desta forma, Zajárova sugeriu que os EUA enfrentam agora as consequências das estratégias que propagou pelo mundo, como a possibilidade de desestabilizar a situação em outros países, brincando com as contradições internas presentes em qualquer Estado e povo.

A diplomata russa ressaltou que a escalada dos problemas internos do país americano, “que nas últimas décadas tem se dedicado a ‘exportar democracia'”, já é impossível de esconder, mas acredita que o governo de Washington tentará desviar a atenção do público.

“A pandemia tem destacado uma série de problemas sistêmicos na agenda interna do Ocidente, como o atendimento à saúde e a falta de unidade entre os ocidentais, que fingiam ser unidos, bem como problemas socioculturais”, acrescentou.

Entre esses problemas, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo mencionou a questão do racismo na sociedade ocidental, sobretudo nos Estados Unidos, a interação da sociedade civil com o Estado, o uso de armas e a possibilidade de deslocamento de tropas.

“Para preservar de alguma forma essa reputação, essa imagem de exportação [da democracia] que sempre vendeu para outros países, é necessário organizar ‘ruídos’ regionais locais. Portanto, prevejo um ruído midiático em matéria de política externa por parte dos EUA que vai se intensificar”, concluiu Zajárova.

Tradução e adaptação de conteúdo originalmente publicado em RT