Press "Enter" to skip to content

Quatro membros da ‘La Manada’ de San Fermín condenados a 18 meses de prisão por outro caso de abuso sexual

Além disso, também foram condenados a penas entre 16 meses e três anos por violação de privacidade, por gravar a agressão e transmiti-la aos grupos WhatsApp.

Antonio Jesús Cabezuelo, José Ángel Prenda, Antonio Manuel Guerrero e Jesús Escudero, conhecido como 'La Manada'.Jesús Prieto / Europa Press / Gettyimages.ru
Antonio Jesús Cabezuelo, José Ángel Prenda, Antonio Manuel Guerrero e Jesús Escudero, conhecido como ‘La Manada’.Jesús Prieto / Europa Press / Gettyimages.ru

Quatro dos cinco membros do ‘La Manada’, o grupo de homens que foram condenados pelo estupro de uma jovem de 18 anos durante o festival de San Fermín em 2016, que chocou a opinião pública espanhola, foram condenados a 18 meses de prisão por abuso sexual de outra jovem em Pozoblanco, no sul da Espanha.

O juiz também os condenou por crime contra a privacidade, com penas que variam de 16 meses a três anos, por gravar e compartilhar as imagens da agressão.

A pena máxima é para José Ángel Prenda, que é condenado a três anos de prisão por crime contra a privacidade e um ano e seis meses de prisão por abuso sexual. Prenda confessou ter sido o autor dos vídeos e declarou que os demais réus não sabiam que ele os havia enviado a vários grupos do WhatsApp. Apesar disso, o magistrado considerou que o crime foi cometido por todos os quatro réus.

Manuel Guerrero, Jesús Escudero e Alfonso Cabezuelo foram condenados a um ano e quatro meses de prisão por um crime contra a privacidade e a um ano e seis meses por abuso sexual. Cabezuelo tem que ser acrescido de uma multa por maus tratos devido aos ferimentos que ele causou à jovem mulher.

Dois meses antes da violação de San Fermín

Os eventos pelos quais agora são condenados ocorreram dois meses antes da agressão sexual em grupo ocorrida em 2016 durante o festival de San Fermino – pelos quais já foram condenados juntamente com outro indivíduo – e foram descobertos graças a um vídeo que a polícia encontrou no celular de um dos acusados durante a investigação desse caso.

Segundo a vítima, depois de beber com os condenados durante parte de uma noite festa, ela pediu aos homens que a levassem até sua casa em Pozoblanco. Após entrar no veículo, ela foi deixada num estado de sono profundo que pode ter sido devido aos efeitos da ingestão de alguma substância narcótica contra sua vontade (embora isso não pudesse ser provado no julgamento). Nestas circunstâncias, os quatro membros do ‘La manada’ aproveitaram a oportunidade para cometer os abusos e registrá-los.

Em Pozoblanco três dos indivíduos saíram do veículo enquanto Cabezuelo continuava a dirigir. Antes de chegar à casa da vítima, o homem pediu à jovem para fazer sexo oral e a socou após sua recusa, insultou-a e a jogou para fora do carro. Quando a reclamante se recuperou, decidiu tirar fotos de marcas que encontrou em seu corpo e de rasgos em seu vestido.

Os quatro indivíduos terão que somar estas penas às já impostas para o estupro em grupo dos sanfermines, que foram 15 anos de prisão para cada um deles (mais dois para Guerrero por um crime de roubo com intimidação) e uma indenização solidária de 100.000 euros.

Tradução e adaptação de conteúdo originalmente publicado em RT