Press "Enter" to skip to content

VIDEOS: Protesto em massa contra o racismo e a brutalidade policial em Paris termina com confrontos com a polícia

Cerca de 20 mil pessoas, inspiradas pelo movimento de protesto nos EUA, saíram às ruas para exigir justiça pela morte do jovem negro francês Adama Traoré, que morreu sob custódia policial em 2016.

Protestos contra a brutalidade policial em Paris, França, 2 de junho de 2020.Gonzalo Fuentes / Reuters
Protestos contra a brutalidade policial em Paris, França, 2 de junho de 2020.Gonzalo Fuentes / Reuters

Uma grande manifestação contra o racismo e a brutalidade policial em Paris terminou na terça-feira com confrontos entre a polícia e os manifestantes.

Cerca de 20 mil pessoas saíram às ruas da capital francesa para protestar após a publicação de dois relatórios médicos diferentes sobre a causa da morte de Adama Traoré, um jovem francês negro que morreu sob custódia policial em 2016, horas após sua prisão em circunstâncias pouco claras, relata a AFP.

Muitos dos manifestantes foram inspirados pelo movimento de protesto nos EUA sobre a morte do afro-americano George Floyd nas mãos de um agente branco, carregando slogans em inglês como ‘Black Lives Matter’ (Vidas negras importam) e ‘I can’t breathe’ (Não posso respirar).

Alguns dos participantes pediram à polícia que se ajoelhasse, gesto utilizado por agentes no país americano para denunciar o racismo e se solidarizar com os protestos.

A marcha terminou com confrontos, nos quais a polícia utilizou gás lacrimogêneo e balas de borracha para dispersar a multidão, enquanto alguns manifestantes jogavam objetos e erguiam barricadas queimando lixo e equipamentos de construção.

As manifestações aconteceram apesar da proibição das autoridades francesas de reunir mais de 10 pessoas devido à pandemia do coronavírus.

“Hoje não estamos falando apenas da luta da família Traoré. É uma luta para todos. Quando lutamos por George Floyd, lutamos por Adama Traoré”, disse Assa, irmã mais velha do jovem falecido acrescentando que “o que está acontecendo nos Estados Unidos é um eco do que está acontecendo na França”.

Protestos semelhantes foram realizados em outras cidades francesas, incluindo Lille, Marselha e Lyon.

Tradução e adaptação de conteúdo originalmente publicado em RT