Press "Enter" to skip to content

Trump mobiliza “milhares e milhares de soldados fortemente armados, militares e oficiais civis” para deter a agitação em Washington

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou na segunda-feira a mobilização maciça de militares e policiais para deter os tumultos e saques em curso, como parte dos protestos sobre a morte de George Floyd.

Presidente dos EUA Donald Trump - Foto: Tom Brenner / Reuters
Presidente dos EUA Donald Trump – Foto: Tom Brenner / Reuters

“Estou mobilizando todos os recursos federais disponíveis, civis e militares, para acabar com os tumultos e saques, para acabar com a destruição e os incêndios, e para proteger os direitos dos americanos cumpridores da lei, incluindo seus direitos da Segunda Emenda”, disse ele aos repórteres.

O presidente recomendou que os governadores ” destacassem a Guarda Nacional para tomar as ruas”. “Os prefeitos e governadores devem estabelecer a presença esmagadora das forças da lei até que a violência seja sufocada”, reiterou nesse contexto, acrescentando que “se uma cidade ou estado se recusar a tomar as ações necessárias para defender a vida e a propriedade de seus residentes, então eu irei enviar os militares dos EUA e resolverei rapidamente o problema para eles”.

Em relação à capital do país, Trump prometeu “tomar medidas rápidas e decisivas” para acabar com a violência durante as manifestações, acrescentando que o que aconteceu em Washington na noite passada “foi uma vergonha total”.

“Neste momento estou enviando milhares e milhares de soldados fortemente armados, efetivos militares e agentes públicos”, disse ele.

“Aqueles que ameaçarem a vida de inocentes e suas propriedade serão presos, detidos e processados com todo peso da lei”. Quero que os organizadores desse terror saibam que enfrentarão penas criminais severas e longas penas de prisão“, disse ele.

Tem havido protestos maciços em várias cidades dos Estados Unidos após a morte na última segunda-feira de George Floyd, um afro-americano de 46 anos, pouco depois de ter sido detido pela polícia.

George Floyd morreu em um hospital após o policial Derek Chauvin ter colocado seu joelho no pescoço por mais de 8 minutos, quando foi preso em 25 de maio.

Tradução a adaptação de conteúdo publicado originalmente em RT