Press "Enter" to skip to content

Trump, sobre os tumultos em Mineápolis: “Se o prefeito não restaurar o controle, enviarei a Guarda Nacional”.

Os protestos na cidade continuam pelo terceiro dia consecutivo após o assassinato do afro-americano George Floyd, que morreu após ter sido sufocado por um policial, que utilizou o joelho para pressionado o pescoço da vítima contra o chão durante abordagem.

Protestos contra o assassinato de George Floyd em Mineápolis, EUA, em 28 de maio de 2020. AP Foto/Julio Cortez
Protestos contra o assassinato de George Floyd em Mineápolis, EUA, em 28 de maio de 2020. AP Foto/Julio Cortez

O presidente dos EUA, Donald Trump, pediu ao prefeito de Mineápolis, Minnesota, para retomar o controle da cidade em meio à agitação que continua desde que George Floyd foi morto por um policial, e disse que, caso contrário, enviará a Guarda Nacional para “fazer o trabalho”.

“Estes vândalos estão desonrando a memória de George Floyd e eu não vou deixar isso aconteça. Acabei de falar com o governador Tim Walz e lhe disse que os militares estão com ele o tempo todo”, escreveu o presidente em sua conta no Twitter, acrescentando que diante de qualquer dificuldade eles assumirão o controle, “mas quando o saque começar, o tiroteio começará”.

Trump chamou a situação atual em Mineápolis de “total falta de liderança” e garantiu que não vai ficar vendo-os destruir a cidade. “Ou o muito fraco prefeito radical de esquerda, Jacob Frey, assume o controle da cidade, ou eu enviarei a Guarda Nacional para fazer o trabalho direito”, escreveu o presidente dos Estados Unidos.

Floyd, um afro-americano de 46 anos, foi preso segunda-feira por suspeita de uma ” trapaça”, ele parecia estar bêbado e durante a prisão um oficial pressionou o joelho em seu pescoço por pelo menos 8 minutos, ignorando suas queixas de que não conseguia respirar.

Os agentes envolvidos foram suspensos do serviço, e o assunto foi levado ao FBI por uma possível violação de direitos civis. A morte de Floyd sob custódia policial provocou indignação nacional, e protestos violentos eclodiram em Mineápolis.

As manifestações, que começaram pacificamente, transformaram-se em confrontos diretos e violentos com a polícia, e parte da cidade tiveram atos de saque e vandalismo.

Para conter a agitação, o governador de Minnesota Tim Walz declarou estado de emergência e enviou a Guarda Nacional.

Fonte RT