Press "Enter" to skip to content

China: “EUA tomam as relações entre Pequim e Washington como reféns e empurram os dois países a beira de uma nova Guerra Fria

O ministro chinês das Relações Exteriores Wang Yi acusou algumas forças políticas nos EUA de “rotular o vírus e politizar suas origens, estigmatizando a China”.

O Ministro das Relações Exteriores da China, Wang YiChina / Reuters

Washington está empurrando as relações China-EUA para a beira de uma nova Guerra Fria, disse domingo o ministro das Relações Exteriores, Wang Yi.

“Algumas forças políticas nos Estados Unidos estão tomando como reféns as relações entre China e Estados Unidos e empurrando nossos dois países para a beira de uma nova Guerra Fria”, disse ele durante uma coletiva de imprensa, citada pela AFP.

Com relação às declarações das autoridades americanas acusando Pequim de estar por trás da disseminação do coronavírus pelo mundo, Wang encorajou Washington “a parar de perder tempo e de perder vidas preciosas”.

“Algumas figuras políticas nos EUA são rápidas em rotular o vírus e politizar suas origens, estigmatizando a China”, disse ele, acrescentando que “um vírus político” está se espalhando pelos EUA. “Este vírus político está usando todas as oportunidades para atacar e difamar a China”. Alguns políticos ignoram completamente os dados básicos e fabricaram muitas mentiras ao atacar a China e conspiraram em excesso”, acrescentou ele.

Nesse contexto, ele disse que seu país está “aberto” à cooperação internacional na pesquisa sobre a origem do coronavírus, que deve, no entanto, estar “livre de interferências políticas”. “Deve ser um processo profissional, imparcial e construtivo […] Todo o processo deve ser aberto, transparente, objetivo e racional”, ressaltou o ministro, cujas declarações foram transmitidas pelo canal chinês CGTN.

“Se alguém pensou que poderia usar algumas demandas ridículas para minar a soberania e a dignidade da China ou privar o povo chinês de suas conquistas duramente conquistadas, estava sonhando e envergonhando a si mesmo”, concluiu.

Acusações absurdas” dos EUA

Anteriormente, o presidente americano Donald Trump declarou que “foi a ‘incompetência da China’, e nada mais, que perpetrou este assassinato em massa global! Na última sexta-feira, o presidente garantiu que o vírus poderia ter sido parado “facilmente” e “rapidamente”, mas a China “por alguma razão não foi capaz” de fazer isso.

O Ministério das Relações Exteriores chinês, por sua vez, publicou um artigo de 30 páginas no dia 9 de maio refutando o que ele chama de 24 “alegações absurdas” por alguns importantes políticos americanos sobre como Pequim lidou com o surto da SARS-CoV-2.

Entre outras coisas, eles mostraram uma linha do tempo de Pequim que reflete como a China tem fornecido informações à comunidade internacional de forma “adequada, aberta e transparente”, apesar de os EUA afirmarem o contrário.

Tradução e adaptação de conteúdo originalmente publicado em: RT