Press "Enter" to skip to content

Venezuela alerta ONU para “uso iminente da força” pelos EUA contra navios iranianos que transportam combustível para Caracas

Por sua vez, o ministro venezuelano da Defesa, Vladimir Padrino López, anunciou que navios, aviões e helicópteros da Força Armada Nacional Bolivariana escoltarão os petroleiros da República Islâmica.

Avião iraniano próximo ao petroleiro – Mehr News Agency / AFP

O embaixador venezuelano nas Nações Unidas, Samuel Moncada, enviou uma carta ao secretário-geral da organização, António Guterres, para alertar sobre a “ameaça de uso iminente da força militar pelos Estados Unidos” contra 5 navios iranianos que transportam gasolina para a Venezuela, chamando-a de “ato de guerra estabelecido no direito internacional”.

Na carta, publicada sexta-feira em sua conta no Twitter, Moncada reiterou que Washington, como parte de sua “campanha de máxima pressão”, está impedindo que o combustível chegue a Caracas para “aliviar a atual carência que existe em todo o país”.

Nesse contexto, ele citou algumas publicações na mídia que captaram as declarações do presidente americano Donald Trump sobre a Venezuela, nas quais ele reiterou que “ela está cercada em um nível que ninguém sabe, mas eles sabem”. Além disso, ele lembrou que em 20 de maio de 2020, o Wall Street Journal havia noticiado, com referência a alguns funcionários da administração Trump, que os Estados Unidos “poderiam até tentar confiscar os navios iranianos através de um procedimento judicial norte-americano […] por violação da “lei norte-americana”.

“Este é um exemplo claro de como o governo dos Estados Unidos da América pretende tanto violar o direito internacional quanto exercer ‘autoridade’ sobre a soberania de outros Estados independentes”, disse ele.

“Qualquer ameaça ou tentativa de proibir esses navios de chegarem a nossos portos constituiria, além de um flagrante desrespeito à Carta das Nações Unidas e às regras do direito internacional, uma clara violação aos princípios da liberdade do comércio internacional e da liberdade de navegação”, disse ele. Ele também solicitou ao Conselho de Segurança das Nações Unidas que “adote urgentemente as medidas necessárias para pôr um fim definitivo e imediato às políticas belicistas e criminosas” das autoridades americanas para evitar “uma nova escalada de tensões”.

Por sua vez, o ministro da Defesa da Venezuela, general Vladimir Padrino López, disse nesta quarta-feira que o país sul-americano receberá os petroleiros iranianos que transportam combustível para seu país, e disse que “assim que entrarem na zona econômica exclusiva, serão escoltados por navios, barcos e aviões” das Forças Armadas Nacionais Bolivarianas (FANB).

Tradução e adaptação de conteúdo originalmente publicado em: RT