Press "Enter" to skip to content

Morre supostamente de coronavírus Vereadora do Equador que disse que o vírus não era “fatal” e recomendou não usar máscaras

A política também sugeriu o consumo de “frutas cítricas” para dessa forma “aumentar seu sistema imunológico”.

Violeta Avila, vereadora de Manta, Equador, que morreu de problemas associados ao coronavírus.Twitter / @agustinintriago
Violeta Avila, vereadora de Manta, Equador, que morreu de problemas associados ao coronavírus.Twitter / @agustinintriago

Violeta Ávila, médica e vereadora equatoriana da cidade de Manta, na província de Manabí, na região da Costa, faleceu na noite de terça-feira, 19 de maio de 2020, informou o prefeito daquela cidade, Agustín Intriago.

Embora o novo coronavírus não tenha sido confirmada como causa de sua morte, Ávila estava internada desde 6 de maio no Instituto Equatoriano de Seguridade Social (IESS) em Manta, único hospital que trata pacientes da pandemia na cidade, por apresentar problemas respiratórios associados à covid-19, relata o site da Revista de Manabí.

No início da pandemia no país, a vereadora foi o centro de um escândalo, depois de dizer publicamente que o coronavírus “não era fatal” e dar recomendações contrárias às oferecidas pelas autoridades.

“Esta doença causada pelo coronavírus, não é fatal […] tem uma taxa de mortalidade de 2%; por isso, não tem porque estar usando as máscaras com objetivo de prevenção, porque não é necessário e você está desperdiçando seu dinheiro”, disse ela.

A vereadora também sugeriu que é melhor comprar “frutas cítricas”, como laranjas, limões e maracujás, “que são ricas em vitamina C que isso irá praticamente aumentar seu sistema imunológico”.

Tradução e adaptação de conteudo originalmente publicado em: RT