Press "Enter" to skip to content

Um chinês sequestrado há 32 anos quando criança se reúne com sua família graças ao reconhecimento facial

Mao Yin tinha dois anos de idade quando desapareceu em sua cidade natal e foi vendido para uma família adotiva na província vizinha. Mais de três décadas depois, ele se reuniu com sua família, que nunca deixou de procurá-lo.

Imagen ilustrativaMaciej Frolow / Gettyimages.ru
Imagem ilustrativa – Maciej Frolow / Gettyimages.ru

Um homem que foi sequestrado quando criança finalmente se reuniu com seus pais após 32 anos, pondo fim a um dos casos de sequestro mais conhecidos da China, informa o portal South China Morning Post .

Mao Yin tinha dois anos quando desapareceu em Xi’an, capital da província de Shaanxi, em 1988 e foi vendido a uma família que o criou como seu próprio filho. Depois de mais de três décadas, a polícia conseguiu identificá-lo em outra província usando a tecnologia de reconhecimento facial.

O menino foi sequestrado na entrada de um hotel quando seu pai foi buscar água e o deixou sozinho por alguns minutos. Desde então, sua família nunca mais parou de procurá-lo. Sua mãe, Li Jingzhi, distribuiu mais de 100.000 cédulas com as informações sobre a criança desaparecida e durante sua longa busca ela seguiu 300 pistas possíveis na esperança de encontrar seu filho, mas em cada um desses casos não foram encontradas correspondências.

Mao, que agora tem 34 anos, chama-se Gu Ningning e dirige um negócio de decoração de casas, foi rastreado no início de maio pela Polícia de Xi’an. No final de abril, os oficiais receberam indicações de que um homem da vizinha província de Sichuan havia adotado uma criança de Xi’an há muitos anos atrás por 6.000 yuan, uma quantia equivalente a cerca de US$ 1.600 na época (US$ 845 hoje).

Após uma série de investigações, a polícia utilizou a tecnologia de reconhecimento facial em uma foto antiga de Mao para obter sua imagem simulada de adulto e comparou-a com as imagens do banco de dados nacional. A sua identidade foi posteriormente confirmada com provas de DNA.

Na segunda-feira, o homem foi acompanhado por sua mãe e seu pai, Li Jingzhi e Mao Zhenjing, em uma coletiva de imprensa organizada pela polícia e transmitida ao vivo pelo canal de televisão estatal CCTV.

Entretanto, nenhuma outra informação sobre seus pais adotivos foi liberada até o momento e o sequestro ainda está sendo investigado.

Tradução e adaptação de conteúdo originalmente publicado em: RT