Press "Enter" to skip to content

Brasil ultrapassa 16 mil mortes e 241 mil infecções por coronavírus

O Ministério da Saúde brasileiro anunciou neste domingo que o número de mortes por covid-19 subiu para 16.118, enquanto o número de infecções por coronavírus no país subiu para 241.080

Segundo comunicado, 94.122 pessoas já se recuperaram da doença desde o início do surto.

O número de casos de Coronavírus cresce de forma descontrolada em vários Estados, especialistas apontam uma subnotificação em todo o País, que pode significar que em cada 10 mortes, 9 não são contabilizadas pelo governo. Em meio a esse clima de incerteza e com o sistema de saúde pública entrando em colápso o presidente Jair Bolsonaro incentiva a volta ao trabalho e fim das medidas restritivas adotadas pelos Estados e Municípios.

Bolsonaro cumprimenta apoiadores e tira fotos com crianças em uma manifestação em plena pandemia

O presidente criticou mais uma vez as medidas de distanciamento tomadas pelos governos regional e municipal e garantiu que a população “quer trabalhar para colocar comida na mesa”.

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro participou de uma manifestação em Brasília no domingo, em frente ao palácio presidencial, onde tirou foto com crianças, apesar das recomendações de saúde e das medidas restritivas das autoridades regionais para evitar a aglomeração e frear o surto do coronavírus.

Acompanhado por 11 ministros, o presidente elogiou o comício organizado em seu apoio e contra as restrições da covid-19. Em mais uma manifestação junto a seus apoiadores, Bolsonaro novamente se manifestou contra as medidas de distanciamento social tomadas pelos governos regional e municipal e defendeu o retorno às atividades normais. “A população quer trabalhar para colocar comida na mesa”, ressaltou o líder da extrema-direita.

Jair Bolsonaro cumprimenta seus apoiadores durante uma manifestação em Brasília (Brasil), 17 de maio de 2020. Adriano Machado / Reuters

Bolsonaro, que no passado chegou a descrever o Covid-19 como uma “gripezinha”, disse que o povo, sobretudo, “quer liberdade, quer democracia, quer respeito”, acrescentando que os cidadãos querem que a economia volte a funcionar o mais rápido possível.

Embora dessa vez usasse sempre uma máscara enquanto acompanhava a manifestação e ter se misturado menos com a multidão do que em ocasiões anteriores, o presidente, acompanhado por seus ministros, aproximou-se de seus seguidores e até segurou pelo menos três crianças em seus braços para tirar fotos.

Jair Bolsonaro segura um menino vestido com um uniforme da polícia militar durante uma manifestação em Brasília, Brasil, em 17 de maio de 2020.

Esta última manifestação do presidente brasileiro que insiste em não respeitar as medidas de distanciamento social, ocorre logo após a saída do segundo ministros da saúde em menos de um mês, e enquanto o número de casos confirmados no país agora ultrapassa 240.000, com 16.118 mortes de covid-19 desde o início do surto.

Com informações da: RT