Press "Enter" to skip to content

Uma paramédica negra é morta a tiros em sua casa em uma batida policial fracassada nos Estados Unidos.

Breonna Taylor perdeu a vida depois que oficiais à paisana executaram um mandado de busca na casa errada.

Imagem ilustrativa – Timothy D. Easley / AP

Uma mulher afro-americana estava dormindo em casa em Louisville, Kentucky, quando três policiais invadiram sua casa e “atiraram as cega”, acabando com sua vida, de acordo com uma ação judicial movida por familiares da vítima relatada pela NBC News.

De acordo com os autores, Breonna Taylor, uma paramédica, morreu no dia 13 de março depois que os policiais executaram um mandado de busca de drogas na casa errada. O documento afirma que a mulher e seu namorado, Kenneth Walker, estavam dormindo em seu quarto quando oficiais em roupas civis chegaram a sua casa em veículos não identificados por volta da meia-noite.

“Assassinato sem sentido”

A tragédia ganhou destaque esta semana depois que a família contratou o advogado Benjamin Crump, que também representa o caso de Ahmaud Arbery, um negro que foi baleado por dois homens brancos enquanto se exercitava (corria), no estado da Geórgia, no dia 23 de fevereiro. Crump chamou a morte de Taylor de ” assassinato sem sentido”.

O incidente ocorreu quando três policiais estavam procurando um suspeito que morava em outra parte da cidade, mas entrou por engano na casa de Taylor “sem chamar e se identificar como policiais”, diz a ação judicial. Quando o casal acordou, eles pensaram que eram criminosos, então Walker ligou para emergência.

O tenente de polícia Ted Eidem disse que os oficiais entraram e “foram imediatamente recebidos com tiros”, forçando-os a se defenderem, enquanto os relatórios informaram que Walker tinha licença para portar armas de fogo e que a mulher “não representava ameaça aos oficiais”, pois estava desarmada.

“Os [policiais] atiraram na residência com total desprezo pelo valor da vida humana”, alegam os autores, afirmando que a polícia abriu fogo “cegamente por toda a casa”. Taylor, 26, foi baleada oito vezes, enquanto seu namorado, 27, foi preso sob a acusação de tentativa de assassinato dos policiais.

Imagem reprodução – Policiais envolvido na morte de Breonna Taylor – NBC Newa

O advogado da vítima disse que “nenhum deles tinha antecedentes criminais por drogas ou violência” e nenhuma substância ilegal foi encontrada em casa. A ação, ajuizada em abril, alega morte culposa, uso excessivo da força e negligência grosseira. Por enquanto, os três policiais envolvidos foram colocados em serviços administrativos enquanto aguardam o resultado da investigação.

Tradução e adaptação de conteúdo originalmente publicado em: RT