Press "Enter" to skip to content

“Eu nunca quis meu filho”: jogador de futebol turco confessa ter matado seu filho de 5 anos com possível covid-19

O jogador afirmou que não tem nenhum problema mental e que a única razão pela qual matou o seu filho foi porque não o queria.

Imagem ilustrativa – Murad Sezer / Reuters

O jogador Cevher Toktas, do time turco Bursa Yildirim, confessou ter matado seu filho de cinco anos, supostamente infectado com o coronavírus. Sua confissão veio 11 dias após a morte do menino no hospital por suposta insuficiência respiratória, relata o Daily Sabah.

No dia 23 de abril, a criança foi internada em uma clínica em Bursa, noroeste da Turquia, com febre alta e sintomas de covid-19. No mesmo dia, Toktas chamou os médicos em seu quarto, dizendo que seu filho estava tendo dificuldades para respirar. A criança foi internada na UTI, onde morreu duas horas depois. Sua morte não despertou as suspeitas dos médicos.

Onze dias depois, o jogador de 32 anos relatou à polícia local que tinha sufocado o garoto com um travesseiro. “Eu coloquei um travesseiro na cabeça do meu filho, que estava deitado de costas. Eu apertei por 15 minutos sem parar. Meu filho resistiu por um tempo. Quando ele parou de se mexer, eu puxei o travesseiro para fora. Então eu chamei os médicos para que eles não suspeitassem de nada”, disse ele.

Perguntado sobre os motivos do crime, o jogador disse que simplesmente nunca quis seu filho. “Eu nunca amei meu filho mais novo, desde o nascimento. Eu não sei porque eu não o quero. A única razão pela qual eu o matei foi porque eu não o queria. Eu não tenho nenhum problema mental”, disse ele.

Toktas foi preso e será julgado por assassinato, o que na Turquia é punível com prisão perpétua.

Fonte: RT