Press "Enter" to skip to content

Avianca, a segunda maior companhia aérea da América Latina, pede falência voluntária por consequência da covid-19

“Este processo foi necessário devido ao impacto imprevisível da pandemia da covid-19, que causou uma redução de 90% no tráfego global de passageiros”, explicou o consórcio.

Um avião da Avianca Holdings SA decola do Aeroporto Santos Dumont no Rio de Janeiro, Brasil, no dia 6 de junho de 2016 – Ricardo Moraes / Reuters

O consórcio latino-americano de aviação comercial Avianca Holdings – que surgiu em 2010 como resultado da fusão da companhia aérea colombiana Avianca e da salvadorenha TACA Airlines – anunciou em 10 de maio que está iniciando um processo de recuperação judicial para preservar as operações devido à pandemia do coronavírus.

Neste contexto, o consórcio já apresentou um pedido à Corte de Falências para o Distrito Sul de Nova Iorque para que fosse voluntariamente ajuizado no Capítulo 11 do Código de Falências dos Estados Unidos.

“Este processo foi necessário devido ao impacto imprevisível da pandemia da covid-19, que causou uma redução de 90% no tráfego global de passageiros e deve reduzir a receita da indústria mundial em US$ 314 bilhões, de acordo com a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA)”, a empresa explicou em comunicado, acompanhado pelo selo Avianca #WillKeepOnFlying.

De acordo com a Companhia Aérea, a empresa esta dialogando com o Governo da Colômbia e de outros países que representam mercados-chave da empresa, a possibilidade de financiamentos para que possam superar este momento de crise.

Fonte RT