Press "Enter" to skip to content

EUA bloqueia a votação sobre uma resolução da ONU para o cessar-fogo global durante a pandemia devido à menção da OMS

Washington não quer que o papel da OMS seja mencionado no documento e pede para incluir a necessidade de “transparência”.

Reunião do Conselho de Segurança da ONU em Nova York, EUA. Carlo Allegri / Reuters

Os Estados Unidos bloquearam na sexta-feira uma votação no Conselho de Segurança da ONU sobre uma resolução pedindo um cessar-fogo global durante a pandemia de coronavírus porque o documento continha uma menção da Organização Mundial da Saúde (OMS), segundo diplomatas que falaram à AFP sob condição de anonimato.

“Os Estados Unidos não podem apoiar o projeto atual”, cita a agência à delegação norte-americana.

A resolução foi elaborada após uma chamada do secretário-geral da agência, António Guterres, em 23 de março, para uma trégua mundial para lidar com a pandemia.

A Agência AP observa que a iniciativa foi apoiada por todos os membros do Conselho de Segurança, que, no entanto, não conseguiram chegar a acordo sobre a menção da OMS no documento por quase sete semanas. Assim, enquanto a China exige destacar o papel da organização na luta contra o coronavírus, os EUA não querem que seja mencionado na resolução e solicitam que seja incluída a necessidade de “transparência” durante a pandemia.

Um porta-voz da missão dos EUA na ONU, cujas palavras são relatadas no The Guardian, disse que se o documento inclui uma menção à OMS, então ele também deve conter críticas à resposta da OMS e da China ao surto do vírus. “Em nossa opinião, o Conselho deve proceder ou com a resolução limitada de apoio ao cessar-fogo, ou com uma resolução ampliada que atenda plenamente à necessidade de compromisso renovado dos Estados membros, defendendo a transparência e a responsabilidade no contexto da Covid-19. Transparência e dados confiáveis são essenciais para ajudar o mundo a combater a atual e a próxima pandemia”, reiterou ele.

Foi relatado que todos os países chegaram a consenso na quinta-feira, após mudanças na última minuta. Em particular, ao invés de mencionar diretamente a OMS, a resolução enfatizou “a necessidade urgente de apoiar todos os países, bem como todas as entidades relevantes do sistema da ONU, incluindo as agências especializadas em saúde”. Entretanto, na sexta-feira Washington bloqueou a votação do documento.

Quando perguntado sobre as razões desta decisão, um funcionário do Departamento de Estado norte-americano disse que a China tinha “bloqueado repetidamente os compromissos que teriam permitido que o Conselho avançasse”.

Cabe observar que, para ser aprovada, a resolução deve receber 9 votos a favor, sem ser vetada pelos membros permanentes do Conselho de Segurança: EUA, China, Rússia, Reino Unido e França.

Cabe observar que, para ser aprovada, a resolução deve receber 9 votos a favor, sem ser vetada pelos membros permanentes do Conselho de Segurança: EUA, China, Rússia, Reino Unido e França

Em 14 de abril, Trump anunciou que os EUA suspenderiam seu financiamento para a OMS e acusou essa organização de ” grosseira má gestão” e “encobrir a propagação do coronavírus”.
Em resposta, o Diretor-Geral da OMS Tedros Adhanom Ghebreyesus defendeu o trabalho de sua agência, que, segundo ele, se concentra em “trabalhar para salvar vidas e deter a pandemia da covida-19”.

Fonte: RT