Press "Enter" to skip to content

O Pentágono afirma que os EUA “não sabe” onde apareceu o coronavírus

Segundo o presidente do Estado Maior Conjunto, o general Mark Milley, Washington não dispõe de informação sobre se o vírus se originou em um laboratório de Wuhan, em um mercado nesta cidade ou “em outro lugar”.

Mandel Ngan / AFP

O presidente do Estado-Maior Conjunto dos EUA, o general Mark Milley, declarou neste dia 5 de maio que seu país não tem informação sobre onde se originou o coronavírus, que já causou quase 255.000 mortes em todo o mundo.

“Saiu de um laboratório de virologia em Wuhan? Ocorreu em um mercado de Wuhan? Ocorreu em outro lugar? A resposta é que não sabemos”, indicou.

Contratição
No mesmo dia, o presidente dos EUA, Donald Trump, durante a manhã nesta terça-feira disse que “dentro de um tempo” seu país publicará o relatório que detalha as origens do novo coronavírus.

Na quinta-feira passada, Trump afirmou estar seguro de que o covid-19 se originou em um laboratório de Wuhan, ao mesmo tempo que disse não poder revelar à imprensa por se tratar de informações de segurança porque não lhe é permitido se pronunciar sobre isso, mas tem visto provas que o corroboram. Além disso, o governante indicou que é possível que Pequim, ou não pôde conter o surto, ou deixou que o vírus se propagasse.

Por sua vez, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, garantiu no domingo passado que existe uma “enorme evidência” de que o coronavírus se originou em um laboratório de Wuhan.

“A China tem um histórico de infectar o mundo, e tem um histórico de gestão de laboratórios de qualidade inferior”, destacou Pompeu. “Estas não são as primeiras vezes que o mundo foi exposto a um vírus como resultado de falhas em um laboratório chinês”, acrescentou o alto cargo.

Mais informações, em breve.
Fonte: RT