Press "Enter" to skip to content

O famoso fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado lança uma petição urgente para proteger os indígenas do coronavirus

O manifesto adverte sobre o “risco real de genocídio” que enfrentam os indígenas pelos “contágios provocados por invasores ilegais em suas terras”.

O fotógrafo Sebastião Salgado em uma exposição em Colônia, Alemanha. 6 de fevereiro de 2020. Ina Fassbender / AFP

O famoso fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado e sua esposa, Lélia Wanick Salgado, lançaram uma petição on-line pedindo “medidas urgentes” para proteger os povos indígenas do Amazonas da ameaça do coronavírus.

Dirigido ao presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, aos líderes do Congresso e ao Poder Judiciário, a petição foi assinada por personalidades e artistas de todo o mundo como Pedro Almodóvar, Meryl Streep e Mario Vargas Llosa.

Salgado, que durante a última década trabalhou na Amazônia, também faz um apelo através de um vídeo com sua voz em ‘ao fundo’ em inglês, e onde se mostram os rostos das pessoas que assinaram a petição, bem como fotografias de vários indígenas.

“Risco real de genocídio”

“Os povos indígenas do Brasil enfrentam uma grave ameaça de sua própria sobrevivência pelo surgimento da pandemia da covid-19. Há cinco séculos, esses grupos étnicos foram dizimados pelas doenças trazidas pelos colonizadores europeus (…)”, informa a petição.

Além disso, adverte que o vírus “se espalhou rapidamente por todo o Brasil, comunidades nativas, algumas vivendo de forma isolada, na bacia do Amazonas, podem ser completamente eliminadas, desprovidas de qualquer defesa contra o coronavírus“.

Também denuncia que os indígenas enfrentam uma “dupla ameaça” porque suas terras estão sendo invadidas ilegalmente por mineiros e madeireiros. “” Essas operações ilícitas aceleraram-se nas últimas semanas, porque as autoridades brasileiras responsáveis pela proteção dessas áreas foram imobilizadas pela pandemia”, informa.

“Sem nenhuma proteção contra este vírus, altamente contagioso, os indígenas sofrem um risco real de genocídio, por meio de contágios provocados por invasores ilegais em suas terras”, denunciam.

O Brasil é o país da América Latina mais atingido pela pandemia com hospitais, necrotérios e cemitérios colapsados. Em todo o país, o número de mortos já soma os 7.025 e 101.147 infectados. Apenas no Estado do Amazonas, um dos mais afetados pelo coronavírus, foram registrados 548 mortos e 6.683 infectados.

Manaus, capital deste estado, enfrenta uma das situações sanitárias mais precárias do Brasil. O seu sistema de saúde público está atualmente sobrecarregado, e também na cidade foi necessário cavar valas comuns para enterrar os mortos.

Fonte: RT